Era uma vez um sonhador...

 

Sonhava sonhos de madeira. Vivia em casa de tábuas mas sonhava com um deck na praia, uma espreguiçadeira em jacarandá, com crianças brincando na areia sob o pôr do sol de janeiro à sombra das palmeiras.

 

 

O sonhador chamava-se Antônio, “surrado” pelo tempo como o cipreste mas virtuosamente firme como as varas de bambu, envergando-se a cada sonho perdido mas erguendo-se, após cada rajada de vento, para sonhar novamente.

 

 

O Antônio sonhador tinha filhos e de todos os meninos se orgulhava porque sonhavam sonhos de madeira como ele. Via-se refletido em seus sonhos...

 

 

Os meninos sonhadores cresceram realizando parte dos sonhos perdidos. Como troncos de Ipês cresciam e realizavam. Antônio sentia-se feliz. Esperava alcançar mais. Esforçava-se mais, doava-se mais. Até que um vento levou todos os sonhos do Antônio sonhador...

 

 

Antônio deixou um legado: sonhar!

 

 

Era uma vez um sonhador...

 

 

João, filho do Antônio também ensinou a seus filhos e, agora, os netos do Antônio sonhador sonham como ele, realizam como ele, esperam alcançar mais como ele.

 

 

De filhos e netos realizou-se um sonho, juntando pedaços como de um trabalho de marchetaria,  sonhos aqui e ali unidos,  retalhos de carvalhos, mognos, folhas e pinho.

 

 

João e seus filhos materializaram seu sonho e esta empresa é fruto desta floresta de sonhos.

                                                                                                       Kelly Frinhani

 

Nossa História